Diabetes Gestacional

O que é?

O diabetes é a doença glandular mais comum na gestação. Pode afetar de 3-5% de todas as gestantes e tem sérias consequências se não reconhecido e tratado adequadamente.
É caracterizado pela intolerância a alimentos conhecidos como carboidratos, que leva a elevação dos níveis de glicose no sangue materno. A gravidez é uma situação que aumenta o risco de diabetes em qualquer mulher.

Quem pode ter Diabetes?

Gestantes com mais de 30 anos, com peso acima do normal, que deram a luz a crianças com mais de 4 quilos, que tem parentes de primeiro grau com diabetes e que tem passado de perdas fetais (óbito fetal) tem risco maior de serem diabéticas ou de desenvolverem diabetes na gravidez. Mesmo mulheres sem nenhum das características acima podem desenvolver diabetes, mas estas são a minoria. Durante a gravidez, mulheres que apresentam ganho excessivo de peso, excesso de líquido amniótico ou fetos com peso acima do normal também podem ter diabetes.

Como Diagnosticar?

O diagnóstico é feito através da dosagem de glicose no sangue materno (glicemia). Este exame deve ser feito em todas as mulheres que tenham algumas das condições acima, na primeira consulta de pré-natal e entre a 24a. e a 28a. semana de gravidez. Há várias maneiras de se fazer a glicemia, podendo ser em jejum ou após uma sobrecarga oral de glicose. Sempre que a glicemia de jejum estiver alterada, deve-se fazer o teste com sobrecarga. Após o diagnóstico, a mulher com diabetes gestacional deve ser encaminhada a um centro especializado em Gravidez de Alto Risco.

Quais as consequências?

A principal consequência do diabetes gestacional é o ganho excessivo de peso do feto ('macrossomia') que pode levar principalmente a hipoglicemia e problemas respiratórios logo após o nascimento. Durante a gravidez pode levar a problemas de vitalidade fetal e nos casos mais graves até a óbito. Podem aumentar ainda as chances de precisar de uma cesariana. O excesso de líquido amniótico aumenta o risco de ruptura da bolsa e parto prematuro.

Como tratar?

A partir do diagnóstico, o tratamento inicial é dieta alimentar e atividade física para todas as mulheres. Tanto a dieta, com orientação profissional adequada, quanto o exercício físico são suficientes para controlar a glicemia na maioria das mulheres. Para uma minora delas, pode ser necessário o uso de insulina. Com o tratamento adequado e controle metabólico, a maioria das mulheres com diabetes gestacional tem gestações bem sucedidas e recém-nascidos saudáveis.